você está em » História da Raça
Historia do cão São Bernardo

Tudo começou nos Alpes Suíços por volta do ano 1045, onde naquele local um monge chamado Bernardo de Menthon, fundou o Mosteiro de São Bernardo. Neste local, os monges que ali viviam, davam  amparo aos viajantes que por lá passavam, pois este era um local com mais de 2500 metros de altitude e onde haviam grandes tempestades de neve que dificultavam a passagem entre a Suíça e a Itália.Os monges iniciaram a criação de cães imponentes com fino olfato, resistência e excelente sentido de orientação, que os ajudavam em suas tarefas. Surgiu ai a união perfeita dos monges e esses cães que marcaram a historia com grande numero de salvamentos dos peregrinos que viajavam por aquela região inóspita.

Existem muitas teorias sobre a origem do cão São Bernardo.Acredita-se que o cão  Grande Tibetano surgiu na Assíria no ano 2000 a.c . Tratava-se de um cão com uma poderosa cabeça, com grandes ossos e robustos, que se parecia muito com o São Bernardo atual. Acredita-se que os Gauleses trouxeram esses cães para a suíça no ano 280 a.c. Outros acreditam que o Grande Tibetano adentrou à Grécia e à Macedônia pelos Fenícios, onde foram chamados “molosso” (da região grega da Molósia), passando para Roma e sendo utilizados em acampamentos à caminho de montanhas para a conquista da Suíça. Os romanos chegaram aos Alpes suíços através do caminho do grande São Bernardo e criaram um refugio para suas tropas ao lado do mosteiro Bernardo de Menthon.

Daí houve,  provavelmente,  o cruzamento do Grande Tibetano com cães como o Bouviers da Suíça e com uma espécie de Mastin, dando origem ao atual São Bernardo. Os São Bernardos utilizados pelos monges nas tarefas de salvamento foram os de pêlo curto. Por volta do ano 1830, na tentativa de conseguir cães com pêlo longo para suportar melhor as condições climáticas, os monges cruzaram alguns São Bernardos com Mastiff e Terranova,  surgindo então os São Bernardos de pêlo longo, mas ali no mosteiro permaneceram apenas os de pêlo curto, pois com pêlo longo retinha-se uma grande quantidade de neve o que dificultava o trabalho dos cães. Os primeiros registros de Cães São Bernardo em exposições caninas datam de 1862 que ocorreu em Birmingha e em Cremorne (1863).Em 1887, durante o congresso de Zurich, definiu-se o padrão da raça, que salvo algumas exceções, foi aceito internacionalmente.

Com sua beleza imponente de um gigante alpino, rapidamente ganhou o publico, o que contribuiu para o rápido desenvolvimento da raça em todo o mundo.Em 1830, os ingleses atraídos pelos altos valores dos São Bernardos no mercado internacional, importaram exemplares da Suíça. Conta-se sobre “Lord Bute” com 109 cm de cernelha e 112 kg foi vendido pelos ingleses a um americano por um valor exorbitante. Conta-se também sobre o legendário “Barry”, um São Bernardo que viveu no mosteiro entre 1800 e 1814. A ele credita-se o salvamento de mais ou menos 40 vidas. No Museu de Historia Natural de Berna, existe  uma imagem do cão Barry.

O livro de origens da Suíça, foi criado em 1884 e o primeiro cão a ser  inscrito  foi o cão São Bernardo, com o nome “Leon” e mais 28 São Bernardos.Em 1887, o cão são Bernardo foi oficialmente reconhecido como cão nacional da Suíça.